História do Jornal

A ideia do “jornal” foi concebida em 1976 por um grupo de jovens igrejanovenses que começou por escrever uma espécie de boletim interno e informativo acerca das novidades que surgiam na nossa terra. Este boletim apareceu com o nome “Despertar” e foi sugestionado por Anabela Marques. A partir de então, e durante dois anos, o Boletim, escrito a partir de uma máquina antiga, oferecida por António Santos Ferreira.
Contudo, a circulação da imprensa na freguesia e no Concelho era reduzida e não existia nenhum meio de divulgação de informação e de notícias. É nesta altura, em 1978, que Joaquim Ribeiro; José Manuel Duarte e José Martinho transformam este boletim num jornal – O Despertar do Zêzere – mais alargado e no âmbito da bacia hidrográfica do Zêzere, abarcando os concelhos de Ferreira do Zêzere, Vila de Rei, Sardoal, Constância e Tomar.
O Despertar do Zêzere vai, então, para as bancas e é enviado para os sócios, via correio desde 1979.
O jornal constitui uma das obras de maior alcance desta associação, uma vez que foi e ainda é, a primeira a ultrapassar as fronteiras da freguesia, levando o concelho a todos os locais do mundo onde haja ferreirenses e não apenas Igrejanovense. O facto de ser o único órgão de informação do concelho vivo, todos estes anos, mostra a qualidade dos projectos e do ‘saber fazer’ da nossa associação.

 

Capa do Despertar do Zêzere



Imprimir